logo federação
43 ANOS
logo federação
Principal Estatuto Disciplinar Rel. Anual Diretoria História Contato Localização
Notícias Fotos Vídeos Mídias Colunas Biblioteca
Enquetes Eventos Galeria de Honra Fundo do Baú Publicações
Atletas Clubes Regulamentos Calendário Resultados Campeonato Recordes
FUNDO DO BAÚ
voltar ao menu
TREINAMENTO DE CARABINA - MR. WILLIAM R. KRILLING POR ALBERTO BRAGA
Com imenso prazer procurarei transmitir aos atiradores de carabina que não tiveram a oportunidade de trabalhar com Mr Krilling, os ensinamentos que consegui aprender e que em mim produziram resultados imediatos.

A princípio fiquei temeroso em treinar com Mr Krilling, pois os dias disponíveis para o seu trabalho no Rio de Janeiro eram justamente os dias de semana que precediam o Campeonato Brasileiro. Certamente ele faria alterações nas minhas posições de tiro e os meus resultados seriam prejudicados.

Manifestei a ele esse meu temor e após saber as minhas médias, disse-me com toda segurança que mudaríamos para melhor. Esta resposta deu-me confiança e começamos o treinamento acatando, sem restrição, todas as modificações por ele determinadas.

Sua técnica consistia em observar o atirador em ação, verificar a localização do impacto no alvo, e então ir fazendo as correções que julgassem necessárias, até que o atirador tivesse a arma estável sobre o alvo.

Após três dias treinamento, já com todas as posições modificadas e eu razoavelmente adaptado, Mr Krilling determinou que atirasse 3 X 20 para fazermos um teste. Tive uma agradável surpresa: fiz 566 pontos.

Os pontos mais importantes e que devem merecer especial atenção dos atiradores – principalmente os que ultrapassaram a fase de iniciação e já estão competindo – são, a meu ver, os seguintes:

1) Nas posições, principalmente em pé e ajoelhado, o equilíbrio perfeito é fundamental. O atirador não deve disparar nem mesmo nos treinamentos até que consiga, com pacientes modificações e principalmente com o auxílio de um companheiro (na ausência de um técnico), que a arma tenha um arco de movimento mínimo. Para isso, é recomendável o treinamento “em seco”.

2) A técnica do disparo: este foi o principal ensinamento que recebi de Mr Krilling e que é um fundamento do Tiro ao Alvo. Mas acredito que poucos entre nós consigam utilizar a técnica do disparo com perfeição em pelo menos 50% dos tiros de uma competição.

A técnica consiste na utilização do sistema: Relax - Controle do Gatilho – Follow Through. O Relax é a combinação da concentração com o relaxamento muscular, que é importantíssimo, pois neste momento é que o atirador “encaixa” a posição, liberando o trabalho dos músculos desnecessários. É importante neste momento o relaxamento do ombro direito.

Quando a arma já está empunhada, com o relaxamento feito, as miras enquadradas e sobre o alvo, o descanso do gatilho deve ser vencido e inicia-se o trabalho de seu pressionamento progressivo até que o disparo se faça naturalmente.

Imediatamente após o disparo, começa o (follow through) acompanhamento, que consiste em permanecer na posição por mais alguns segundos, analisando-se, após o salto da arma, as condições em que o tiro foi disparado.

Posição de Pé:

Minha posição de pé, após as modificações feitas, obedece à seguinte seqüência de preparação:

1) Posição dos pés: pé esquerdo ligeiramente á frente do direito. Abertura igual à largura dos ombros. Recomendo marcar no chão com giz a posição ideal antes de iniciar os tiros de prova.

2) Empunhar a arma apontando em direção à 3 ou 4 alvos à direita e fazer a torção do corpo sem mover a cintura (back spin). O corpo também deve estar ligeiramente inclinado para trás: a cabeça é abaixada naturalmente sobre a coronha, sem forçar o pescoço. No momento da torção o cotovelo esquerdo não deve ser deslocado da posição inicial, ficando, portanto, ligeiramente para a direita para a direita da crista do osso ilíaco. A seguir, fazer o relaxamento muscular, encaixar os quadris e bloquear os joelhos, que não podem dobrar.

3) Para ter um bom resultado na posição em pé, o atirador deve colocar seus pés separados de uma distância igual à largura de seus ombros. Coloca-se o corpo num ângulo de 90 graus em relação ao alvo. Procure sempre equilibrar o peso da carabina, podendo apoiar-se mais em um dos pés, desde que a diferença não ultrapasse de 60%.

O corpo do atirador deve ter uma inclinação para trás, para compensar o peso da carabina, e ligeiramente torcida. Quando o equilíbrio do conjunto carabina-atirador estiver correto, o centro de gravidade passará por um ponto imaginário situado entre os pés do atirador.

O conjunto resultante da posição dos pés, bloqueio dos joelhos, trancamento dos quadris, posição do cotovelo, posição da mão esquerda no “palm rest” e a execução da torção devem colocar a arma apontada ligeiramente alta sobre o alvo. Com a execução da visada e o relaxamento a arma deverá vir para o ponto ideal de disparo.

Instrutores Credenciados Wir Equipamentos Gregory Armeiro Camping & Cia Paula Carvalho - Avaliação Psicológica
Blog Tiro Olímpico Blog Primeiros Tiros
Principal  |  Estatuto  |  Disciplinar  |  Rel. Anual  |  Diretoria  |  História  |  Contato  |  Localização  |  Notícias  |  Fotos  |  Vídeos  |  Mídias  |  Colunas  |  Biblioteca
Enquetes  |  Eventos  |  Fundo do Baú  |  Publicações  |  Atletas  |  Clubes  |  Regulamentos  |  Calendário  |  Resultados  |  Campeonato  |  Recordes
Av. Colares Moreira, 444 sala 646 B - Jardim Renascença - São Luís - MA - 65075-441 (98) 3251-3535